top of page

SOBREVIVENTES: DEPOIS DO TERREMOTO | O que o ser humano é capaz de fazer para sobreviver

Saudações queridos nerds! 'Sobreviventes: Depois do Terremoto' é um filme de ação coreano, distribuído pela Paris Filmes e dirigido por Anna Zaytseva, com estreia marcada para 18 de janeiro de 2024.

Após um devastador terremoto em Seul, apenas um edifício permanece de pé, garantindo a sobrevivência dos moradores no terrível inverno.


Porém, eles não são os únicos sobreviventes na região e isso acaba trazendo grandes conflitos, uma vez que todos querem um abrigo para sobreviver e não havia nenhuma promessa de resgate. 

Será que o terremoto foi o pior que poderia ter acontecido, ou o pior ainda estava por vir? Pensando nisso, preparei uma crítica SEM SPOILERS aqui para vocês!



Sobreviventes colocados em situações extremas

Já vimos em vários filmes de apocalipse zumbi o quanto os seres humanos podem mudar para se adaptar ao ambiente e em 'Sobreviventes: depois do terremoto' não seria diferente, só que ao invés de zumbis, precisam lidar com pessoas e o intenso inverno de Seul.


Quando o assunto é se manter vivo, nosso corpo acaba se adaptando e muitas vezes nos vemos obrigados a fazer coisas que provavelmente nunca faríamos em situações comuns.

Como havia um único edifício de pé, muitos sobreviventes procuraram o lugar para se abrigar, gerando conflitos com os moradores do local.


Sendo assim decidem, em votação, expulsar as "visitas indesejadas", sem se importar se eram idosos, crianças, mulheres ou até mesmo funcionários do prédio.

Por mais o plano parecia ser bom e que tenham se organizado como comunidade estabelecendo regras de convivência, quando a comida começa a ficar escassa, os conflitos começam novamente.



Oportunidade para reescrever sua história depois do terremoto

Depois do terremoto o dinheiro já não vale mais nada. Se estava devendo ao banco, se faltava terminar de pagar o apartamento, subornar para conseguir comida, nada disso adianta mais.

Algumas profissões ainda eram úteis para se manter a comunidade, mas se a pessoa era má ou boa antes do ocorrido, isso já não importava a mais ninguém, desde que se mantivessem seguros.

O longa nos mostra que somos capazes de acreditar naquilo que queremos acreditar e até que ponto se manter bondoso garante sua sobrevivência.



Roteiro e edição

O roteiro é construído de forma que você vai entendendo a dor de cada personagem, o que cada um esconde e o que já aconteceu em suas vidas antes do terremoto, aos poucos.

Isso faz com que você se apegue ou despreze muitos personagens, uma vez que grande parte deles tinham um comportamento diferente. O que te faz pensar se é realmente importante o passado daquela pessoa naquele momento.


O roteiro também te faz ver as coisas da forma que aqueles sobreviventes veem, sem saber o que esperar ou que há lá fora, sabendo apenas do que acontece naquele único prédio erguido.

Todas as vezes que temos acesso ao mundo externo, é através da visão dos personagens principais, que saem para explorar atrás de comidas e recursos.

Algumas cenas são angustiantes, mas servem para entender o sentimento daquelas pessoas naquele momento.


Um ponto interessante são as baratas, que no início do filme fica um pouco forçado o comportamento desses insetos no ambiente, mas com o tempo você percebe que carregam semelhanças com os seres humanos.

Esses se comportam como baratas em meio a situações extremas e até chegam a se referir a alguns como baratas. 


O jogo de câmera para mostrar esse comportamento igual ao do inseto quando é visto, afugentado ou se esconde do ser humano, também é muito bem feito.



Vale a pena ver 'Sobreviventes: depois do terremoto' no cinema?

'Sobreviventes: Depois do Terremoto' não é um filme inovador, mas consegue te prender do início ao fim, sem que você sinta que a história esteja se arrastando ou ficando sem rumo.

Tem um desfecho irônico que te faz repensar se o que achava certo no prédio, continua sendo o certo e até que ponto o errado estava realmente errado.


Por ser uma obra coreana, acredito que muitos podem não escolher assisti-lo no cinema, mas não se enganem, obras coreanas são muito bem escritas, 'Round 6' foi uma prova disso, pois foi um grande sucesso na Netflix.


Então deixe o preconceito de lado e consuma uma boa história pós "apocalíptica".

É isso nerds! Um abraço e que a Força esteja com vocês



6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page