top of page

It: Capítulo 2 – Crítica

27 anos após ser derrotado pelo clube dos otários, Pennywise volta a aterrorizar a pequena cidade de Dery, em busca de novas vítimas para saciar sua constante fome. Diante de tal situação cabe aos membros do clube ( hoje já adultos) retornar a sua cidade natal e cumprir a promessa que fizeram de exterminar definitivamente a coisa, caso ela reaparecesse.

De volta a direção, Andy Muschietti tem a difícil missão de trazer a conclusão da trama que começamos acompanhar no bem sucedido IT A Coisa de 2017. Digo que a missão é difícil pois It se tornou o filme de terror de maior arrecadação da historia, deixando os fãs com um hype enorme para a conclusão da saga do clube dos otários.

Já tirando a aranha gigante da sala (entendedores, entenderão rs) vamos direto ao que interessa, It Capitulo 2 supera seu antecessor? Infelizmente não meus amigos, porem o filme também está longe de ser ruim ou decepcionante. O elenco adulto do filme foi muito bem escolhido e tem uma sinergia muito bacana que em vários momentos nos faz lembrar da interação que as crianças tinham entre si, desde os momentos engraçados ate aos mais dramáticos.

O roteiro acerta em focar no desenvolvimento dos nossos protagonistas, inclusive adicionando vários flashbacks de momentos que não haviam sido mostrados no filme anterior, e que contribuem muito para que o publico entenda ainda melhor o por que dessas crianças ter se tornado os adultos que são hoje. Porém a adição dessas cenas acaba contribuindo para um dos maiores problemas do longa, que é a sua duração. Com cerca de 2h50min o filme tem um segundo ato muito arrastado a as vezes acaba atrapalhando seu andamento e o faz parecer uma versão estendida.

Como fã do gênero, devo dizer que o terror aqui não funciona tão bem quanto no primeiro, e o motivo é o uso excessivo de CGI, muitas cenas que teriam um aspecto melhor com uso de efeitos práticos acabam se tornando até cômicas e caricatas em alguns momentos. Outro fator chave que enfraquece a experiência é o uso de jump scare clichê. Isso me deixa um pouco triste pois em determinadas situações um tom de terror psicológico funcionaria melhor do que apenas sustinhos bobos que você já sabe que vão acontecer, devido a uma trilha sonora que já te alerta disso.

Apesar dos pesares, gostei bastante da solução visual que deram ao final do filme, ainda que mesmo sendo a conclusão da história eles ainda insistam em não deixar as coisas muito bem explicadas, o que pode ser até uma brecha pra uma futura parte 3, ou até mesmo um prelúdio. Mesmo sendo uma sessão um pouco cansativa, devido ao tempo de projeção, o longa dá um final digno aos personagens e ainda consegue fazer jus a obra do mestre Stephen King.

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page