top of page

Infiltrado na Klan – Crítica

Baseado em umas paradas reais

Spike Lee  mais uma vez na direção de um poderoso filme, Infiltrado na Klan pode ser um dos seus melhores trabalhos até hoje. Mais uma vez com discurso sobre o preconceito e racismo, baseado em uma história real do policial Ron Stallworth (John David Washington filho de Denzel Washington), o primeiro meganha afro-americano em Colorado Springs. A trama se passa na década de 1970, mostra como Ron conseguiu se infiltrar na Ku Klux Klan e, com justiça, estragar a moral interna do grupo. Uma história verdadeira, espantosa que remete até dias atuais das formas mais preocupantes discursos de ódio ao atual presidente americano.

O fato que Infiltrado na Klan mostra é poder em todas as suas diferentes formas, abusos de poder, impotência, poder de uma raça sobre o outro. E  algo interessante, o poder do cinema para afetar a política e as percepções das massas, a palavra do indivíduo para mudar a história.

Ao conseguir entrar para policia, Stallworth é encarregado a sala de registros, e frustrado com tal ele consegue uma operação disfarçado  então indicado ao departamento de detetives. A partir daí Stallworth responde a um anúncio de recrutamento de jornal para a KKK e consegue convencer vários membros, até mesmo Grão-Assistente David Duke (Topher Grace), que ele é um verdadeiro branco completo, racista e um ideal anti-semita. Com a ajuda do seu parceiro, branco, judeu, Flip Zimmerman (Adam Driver) dando uma pitada a mais para uma visão que não foram somente os negros que sofriam atos de violência. Enquanto Flip participava de reuniões presenciais da Klan, Stallworth arquitetava tudo se comunicando pelo telefone com os membros.

Uma película com uma forte lição de história mostrando o chocante racismo nos anos 70 mas se mantendo leve em alguns momentos de comédia. Não é um conto preventivo como uma exposição assustadora de como chegamos onde estamos agora, dos relatos históricos de Nat Turner culminando em imagens  recentes dos comícios da supremacia branca de 2017 em Charlottesville, que são bem impactantes, nada de frescura.

Esse lance do Spike Lee é excelente trabalho, consegue mostrar o poder do cinema, impacta te faz sorrir, pensar, tema atual e perturbador, bem ritmado e doce na sua narrativa bem roteirizada. Infiltrado na Klan sem dúvida é um excelente material para ser apreciado e digno de estar em premiações como Oscar.

O filme já teve suas estréia lá fora e chega aos cinemas brasileiros no dia 22 de Novembro.

Foto real do policial Ron Stallworth segurando sua carteirinha de membro da KKK.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commenti


bottom of page