top of page

Entrevista com Mateus Rodrigues, autor de “Perspectiva: o terror da vida real”

Hoje conversamos um pouco com Mateus, autor e futuro veterinário além de atuante na causa de proteção animal, que publicou recentemente o seu primeiro livro: PERSPECTIVA: O TERROR DA VIDA REAL. Vem conferir o bate papo aqui!

PGK: Como surgiu o interesse em se tornar escritor, ou seja, quando você percebeu que poderia fazer isso profissionalmente? Sempre gostei de escrever, seja poemas, contos, diários ou apenas histórias do dia a dia, ou que vinham em minha mente. Então apareceu a oportunidade de participar de um concurso literário e eu quis aproveitar a oportunidade para expor meus textos. Confesso que fiquei um pouco receoso, pois publicar um livro, querendo ou não, é expor sua opinião ao público, mesmo que de forma implícita. Li o livro “Perspectiva” para alguns amigos que são amantes da leitura e eles me deram todo o apoio que eu precisava para divulgar o trabalho.

PGK: Quais as suas principais inspirações literárias para escrever? Sou muito eclético na leitura, e gosto muito dos livros de Machado de Assis e George Orwell. Atualmente meu livro preferido é “O Príncipe” de Nicolau Maquiavel e Augusto Cury é um autor que me inspira muito a escrever. Minhas inspirações vêm desses autores e das pessoas, pois eu acredito que todos temos algo importante e grandemente especial para contar.

Minha ideia e meu objetivo ao criar o livro “Perspectiva” é conscientizar. Conscientizar que não precisamos ir muito longe ao redor do mundo para podermos ver o caos se instaurando, e que guerras não são somente políticas e recheadas de armas e bombas, pois, acredito que as maiores guerras são silenciosas e muitas vezes, ninguém nem fica sabendo, só você mesmo.

PGK: Como surgiu a ideia para criar “Perspectiva”? O que, na sua vivência, contribuiu para o livro e para contar a história daquelas cinco pessoas? Eu acredito, como disse Augusto Cury em um dos seus livros, que “os livros de história têm uma dívida impagável com a realidade crua experimentada pelos autores que respiraram os fatos”, e no meu dia a dia (acredito que de muitos outros também), nós vivenciamos realidades palpáveis aterrorizantes, com problemas e dificuldades reais e que muitas vezes é difícil sentir empatia devido à correria diária. Minha ideia e meu objetivo ao criar o livro “Perspectiva” é conscientizar. Conscientizar que não precisamos ir muito longe ao redor do mundo para podermos ver o caos se instaurando, e que guerras não são somente políticas e recheadas de armas e bombas, pois, acredito que as maiores guerras são silenciosas e muitas vezes, ninguém nem fica sabendo, só você mesmo. Conscientizar que com pequenas atitudes diárias, nós podemos formar uma rede de pessoas que podem ajudar o mundo a se tornar um lugar melhor, a partir do momento que abrimos realmente nossos olhos para enxergar o “Terror da vida real”.

PGK: Como foi o processo criativo da construção dos personagens? Por trás de todo mito, há um pouco de veracidade. Confesso que não foi muito difícil construir os personagens e suas histórias pois, por mais que o livro seja ficção, ele tem um embasamento muito forte em fatos reais.

PGK: Em “Perspectiva: o terror da vida real” podemos ver que um dos maiores problemas apontados pelos personagens é em identificar quem eles próprios são. O personagem final, por outro lado, sabe exatamente quem ele é mas lida com outras questões que o atormentam. De onde veio essa de confrontar essas perspectivas? Sempre que há uma situação, um problema, uma pessoa, uma existência, haverá um questionamento, é algo que não conseguimos fugir, as dúvidas e tormentas da nossa mente, por mais que possam ser diferentes entre os indivíduos, sempre irão existir, o que vai mudar é somente a perspectiva.

PGK: Qual dos personagens você nutriu maior carinho ao desenvolvê-lo? Qual daquelas histórias mais te emocionou para ser desenvolvida/contada? Todos os personagens tiveram uma importância ímpar na elaboração do livro, cada um com sua particularidade mostra ao mundo, do seu jeito, a sua dúvida e procura por sua identidade. Acredito que o fechamento da história com o último personagem foi o mais tocante de se escrever, a interação que ele cria com a história e com o leitor, por demonstrar sua participação , mesmo que rápida, na história dos outros personagens , cria um fechamento intenso da trama.

PGK: Quais seus projetos para o futuro? A princípio temos mais dois projetos para o futuro, inclusive um já está em andamento. No momento, a ideia é conseguir o apoio de editoras para apoiar nossos trabalhos, para podermos conseguir abranger um público maior e apresentar o livro em formato impresso também.

PGK: Quais os maiores desafios que você encontrou para desenvolver e publicar o primeiro livro e qual conselho daria para o Mateus do passado? As maiores dificuldades foram para organizar as ideias no texto e traçar um “caminho” temporal para se percorrer com as personagens. Como eu já escrevia, mas só para mim mesmo, eu não tinha essa preocupação de formar uma linha cronológica de fatos e eventos para o entendimento de uma segunda pessoa, e meus amigos e família me ajudaram muito. O conselho para o Mateus do passado seria uma passagem da música do Bob Marley – Three little birds : “Don’t worry, about a thing, ’cause every little thing , gonna be all right…”. Fique calmo, os problemas vêm e vão, apenas aproveite o dia.

PGK: Gostaria de deixar uma mensagem final? Gostaria de agradecer imensamente a oportunidade de estar participando dessa entrevista com vocês, por acreditarem em mim, no meu trabalho e me proporcionar essa oportunidade única de conversa para expor minhas ideias. Espero que essa seja a primeira de muitas outras entrevistas que virão, acompanho o trabalho de vocês a algum tempo e os admiro muito, muito obrigado, vocês são especiais para mim.

Nós é que agradecemos, Mateus! Seu livro é inspirador, objetivo e envolvente e sua narrativa nos faz identificar com cada detalhe dos seus personagens. Desejamos muito sucesso a você!

Você pode adquirir sua cópia de “Perspectiva: O terror da vida real” na plataforma Kindle da Amazon clicando aqui. Tivemos a oportunidade de ler o livro e gostamos bastante!

Quer conhecer melhor o Mateus? Siga ele no instagram!

0 visualização0 comentário

Comentarios


bottom of page