top of page
  • Foto do escritorYzza

Duna parte II | Crítica sem spoilers

Amanhã, dia 29 de fevereiro, estréia nos cinemas brasileiros a segunda parte de Duna, sequência da obra homonima de ficção científica de Dennis Villeneuve. Inspirado no livro de Frank Herbert de mesmo nome, o filme tem Timotee Chalamet como Paul Atreides, Zendaya no papel de Chani e grande elenco.



Parte I


Para relembrar.

Na parte I, Duna (2021) mostra a família do duque Leto Atreides (Oscar Isaac) em Caladan, seu planeta natal. Paul (Timotee Chalamet), filho do duque, é um jovem que herdará todo o poder da Casa de Atreides, mas sua mãe, a Bene Gesserit, Jessica (Rebecca Ferguson), tem planos ainda mais ambiciosos para o rapaz. Suspeitando que o filho pode ser o escolhido de uma antiga profecia, lady Jessica convida a Reverenda Madre Mohiam (Charlotte Rampling) para submetê-lo ao ritual do Gom Jabbar.



A chegada da Casa de Atreides ao planeta desértico de Arrakis para controle da especiaria mélange, coloca em risco o governo do Imperador da Casa Corrino e expulsa os Harkonnen do planeta, fazendo que eles se tornem o alvo de uma emboscada.

Após a morte do duque Leto, os Harkonnen libertam Jessica e Paul no deserto para que sejam vítimas dos vermes de areia. No entanto, mãe e filho encontram um grupo de Fremens que os resgata. Jamis (Babs Olusanmokun), um dos Fremen mais desconfiados, desafia lady Jessica para um duelo, e Paul se coloca como seu campeão. Após vencer Jamis em uma batalha justa, Paul se aproxima de se tornar um Fremen.



Parte II



A parte II começa logo depois do final da primeira parte e mostra como Paul, agora chamado de Usul ou Muab'dib, e lady Jessica se inserem na cultura dos Fremen. Paul Muab'dib é considerado um messias por parte dos Fremen, e se torna um protegido do líder Stilgar (Javier Bardem), por outro lado, lady Jessica se torna a Reverenda Madre dos Fremen do Norte. O protagonista é cada vez mais afetado por suas visões premonitórias e deve aprender a lidar com elas.



Ao serem atacados novamente pelos Harkonnen, os Fremen, agora liderados por Muab'dib, revidam de maneira estratégica, conseguindo prejudicar a produção da especiaria. Muab'dib se torna uma lenda entre as Casas Grandes, principalmente a Casa Imperial Corrino e os Harkonnen. O Barão Vladimir Harkonnen (Stellan Skarsgård) substitui o seu sobrinho Beast Rabban (Dave Bautista), até então responsável pelo controle de Arrakis, pelo irmão dele, o jovem Feyd-Rautha (Austin Butler), depois deste se provar forte em uma cerimônia de aniversário armada para ele. 

Muab'dib lidera os Fremen na batalha contra os Harkonnen, enquanto deve abrir mão de suas conquistas pessoais para libertar o planeta Arrakis, também chamado de Duna pelo seu povo originário.



Crítica


Os filmes são adaptações bem fiéis do livro, no entanto, não são exatamente uma encenação do texto de Frank Herbert, é possível perceber algumas mudanças pontuais. No caso, as duas partes compreendem o conteúdo apenas do primeiro livro, de uma sequência de 6.



O segundo filme corrige algumas "falhas" de fotografia do primeiro, como o tom muito acinzentado de seu antecessor, com um filtro mais quente nas cenas, fazendo com que o espectador sinta que realmente está observando um deserto; e o azul dos olhos dos Fremen ficando mais destacados. 

O novo filme de Villeneuve também conta com mais cenas de ação, fazendo com que o longa de quase 3h de duração se torne mais dinâmico que a primeira parte, que, obviamente, precisava se preocupar em apresentar as personagens, os cenários e os contextos. As disputas corporais, principalmente as de Feyd-Rautha, também chamam a atenção pelas belas e ágeis coreografias apresentadas.



A indefectível atuação de Chalamet, junto ao amadurecimento de Paul como Muab'dib, fazem com que o público se relacione com a personagem de maneira controversa, ora torcendo por ele e ora questionando suas decisões. Sentimentos que também são evocados pelo livro. Destaque também para a aparição "surpresa" de Anya Taylor Joy.

Indispensável para os fãs de ficção científica e simpatizantes do assunto, o filme faz jus à fama do romance que o inspirou. Segundo o site IGN, Duna parte II já se tornou o filme mais bem avaliado do IMDB, se tornando o melhor filme da história, como você pode ler aqui.





11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page