top of page

CREED II – Crítica

E aí seus geek maluco beleza? Sim, é chegada a hora de nosso querido Rocky Balboa, o Garanhão Italiano passar definitivamente seu cinturão e ele não estaria em melhores mãos se não as de Adonis Creed filho do grande Apollo “Doutrinador” Creed. São poucas as franquias antigas do cinema que conseguem manter-se bem na era dos reboots e continuações, mas aqui a meu ver temos uma continuidade de excelência. Rocky fez história no passado, papel da vida de Stallone, lhe rendeu três Oscars, apesar de sequências medianas continuar essa história nos dias atuais com o filho de Apollo foi uma grande sacada.


Em CREED II temos a continuação da trajetória do lutador vivido por Michael B. Jordan, assim como seu mentor teve sua acessão meteórica e se tornou campeão mundial, a estrutura de roteiro dos filmes de Balboa são bem similares e aqui, com certeza, não seria diferente, aliás é praticamente uma analogia com Rocky IV além de ser uma continuação. Aliás um ponto positivo do filme é o roteiro, os escritores conseguiram pegar aquela história rasa de 1985 e dar relevância a ela em 2018. Temos o retorno de Ivan Drago que sofreu consequências até então irreparáveis na sua vida, com a sua derrota por Balboa em solo russo, o mesmo perdeu todo seu prestígio, esposa, além do fato de ter criado e treinado seu filho sozinho, Viktor Drago. Ivan então como ato de “vingança” quer refazer seu nome propondo a maior luta da história, novamente DRAGO vs CREED, em cima desse embate ambos os lados têm seus medos, anseios, egos e desejos aguçados.


Do lado americano temos Adonis querendo se provar como um lutador que não está a sombra do legado do pai usando o preceito de vingar a sua morte no ringue pelas mãos de Ivan Drago, já Rocky como mentor coach de Adonis assumindo o papel que outrora era do saudoso Mickey, nega no melhor estilo “herói relutante” treinar CREED contra o filho daquele que quebrou coisas nele que jamais foram concertadas, Rocky possui traumas, vive sozinho longe do filho e do neto. Do lado russo temos Ivan transferindo para o seu filho a reconstrução do seu nome. Diante desses impasses a história se desenrola muito bem de cada lado, e todos esses acontecimentos gira em torno de um tema central, a família.


O filme é muito bem dirigido por Steven Caple Jr., apesar que o olhar de Ryan Coogler é superior em CREED I, a fotografia ainda surpreende. Destaque para a trilha sonora que continua no mesmo nível do primeiro filme, no melhor estilo hip-hop intercalando arranjos da trilha clássica de Rocky. Além da cereja do bolo e destaque para Tessa thompson que dá um show literalmente, em interpretação e cantando.


CREED II é uma boa mescla do nostálgico e o novo, traz boas referências pra quem é fã das antigas e traz para a nova geração o legado de um filme de superação, alias as frases de efeito e a filosofia Rocky está nas telas, que pra mim é o supra sumo da franquia, a história de homens que podem superar suas limitações e vencer sabendo que o título não é tudo mas o legado e principalmente a família é o maior prêmio que um vencedor pode ter!


Sirvo 9 pães de queijo e meio para esse filme espetacular! Corra para o cinema!

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page