top of page

Crítica: Han Solo – Uma História Star Wars (Sem Spoilers)


Han Solo – Uma História Star Wars estreou nos cinemas na ultima semana e está dividindo a opinião do publico! O mais novo spin-off da saga conta a origem do contrabandista mais amado da franquia e que  nos cinemas foi interpretado por Harrison Ford. O diretor Ron Howard consegue trazer o clima certo ao explorar o submundo mais sem nada épico deixando a aventura sempre no mesmo clímax ao não explorar as varias  possibilidades do universo criado por George Lucas.

Ao compararmos Han solo com o ultimo spin-off da saga: Rogue One, percebemos que a missão de retratar a origem do contrabandista queridinho dos fãs já era uma tarefa extremamente difícil logo no inicio de sua concepção! Pois trazer novos atores para reinterpretar personagens que ficaram imortalizados com outros atores no papel, é correr um grande risco, pois isso tudo passa por desde uma aceitação dos fãs a uma boa interpretação e caracterização dos atores novos. Alden Ehrenreich (Han Solo) e Donald Glover (Lando Calrissian) não deixam a desejar nos papeis, não possuem uma atuação brilhante mas também não comprometem, sendo possível ver por vários momentos em suas atuações as características  que marcaram cada um dos personagens na franquia.




A verdade é que mesmo o filme contando com grandes nomes como  Woody Harrelson, Thandie Newton, Paul Bettany e Emilia Clarke, que são personagens interessantes e que se encaixam bem na trama, não conseguem fugir dos estereótipos que já conhecemos de todos os filmes do gênero.    O problema maior é o roteiro e a direção que como dito no inicio não conseguem trazer nenhuma cena épica ao longa como tivemos em Rogue One com a cena de tirar o fôlego protagonizada por Vader.

A historia mantém a mesmo clima do inicio ao fim, não chegando a ser o pior filme da franquia na minha opinião, mas com uma certa distancia dos melhores por detalhes que lhe ficam faltando e ao mesmo tempo exageros e fan services desnecessários em vários momentos, que chegam a ofender o personagem e os fãs, principalmente na explicação do nome “Solo”. A trilha   sonora deixa a desejar ficando bem abaixo do esperado, principalmente comparando com os outros filmes da franquia.

Mas o longa conta com muitos pontos positivos também, a fotografia e o figurino mantém a mesma qualidade do estilo da saga, tendo uma variação mais escura na paleta de cores para retratar o submundo galáctico as margens do império. E  as cenas de ação são bem executadas e contribuem para a ideia de aventura do filme sendo um dos pontos altos do longa.




Han Solo: Uma História Star Wars depois das varias mudanças que sofreu com troca de diretores e outros problemas ligados a produção do filme, cumpre o que se propõe a ser, sendo um bom filme, nada espetacular e nada desastroso. Nas mãos do diretor Ron Howard já era de se esperar o famoso blockbuster  à moda antiga.

O roteiro de Jonathan Kasdan e Lawrence Kasdan tentam dar um outro olhar para o universo de star wars mostrando com vivem as pessoas no que podemos chamar   de submundo do Império e como elas  sobrevivem na galáxia. A ideia inicial é boa mas no decorrer do filme perde fôlego ficando limitado a responder e explicar as inúmeras perguntas sobre sobre o passado de Han Solo.

Creio que a Disney ao trocar os diretores abriram mão de tentar algo novo para seguir um caminho tradicional fazendo o arroz com feijão ou aquele café com pão de queijo básico no café da tarde rsrsrsr. E o que poderia ser épico, passou a ser apenas: “Uma historia Star Wars”







0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page