top of page

Como Treinar seu Dragão 3

Dragões são figuras mitológicas que aparecem em histórias de culturas diversas. Na maioria das vezes são criaturas assustadoras e mortais, e servem para impor medo por onde passam.

Mas, há sempre exceções. Às vezes, alguns dragões, apesar de misteriosos e historicamente perigosos, conquistam nossos corações de uma forma incontrolável. Este é o curioso caso de um dragão negro, meio atrapalhado e banguela, chamado pelos estudiosos em dragões de Fúria da Noite.  Essa linda criatura, nomeada de Banguela, conquistou uma legião de fãs e uma trilogia, que este ano traz sua última parte para as telonas.

Como Treinar seu Dragão 3, o último filme da trilogia, dirigido por Dean DeBlois (Como Treinar seu Dragão 1 e 2. Lilo & Stich) ), mostra uma Berg sofrendo pela superpolução de humanos e dragões, que são constantemente resgatados pelos amigos de Soluço das mãos de malfeitores e caçadores. Esta multidão, tenta conviver em harmonia, mas sofrendo ameaças dos inimigos que, cada vez mais se tornam cientes da trajetória de Berg e seus heróis protetores de dragões.

Um destes vilões, obstinado e letal, acaba decidindo atacar Berg para caçar e matar a sua espécie de  dragão preferida:  Os Fúrias da Noite.

Obcecado por encontrar Banguela, o estranho vilão usa uma fêmea de sua espécie para atraí-lo, sabiamente preparado para que as criaturas se apaixonem (como de fato acontece). Mas o que ele não sabe é do valor da amizade entre Soluço e Banguela, e de como eles são fortes juntos.

Mas, Soluço se sente ameaçado pela presença da bela fêmea, pois sabe que Banguela precisa de algo mais em sua vida, e um amor era algo que eles nunca haviam imaginado. Ele precisa deixar o amigo partir, e esta é uma dor que ele não está preparado para sentir.

Primeiras Impressões

Como Treinar seu Dragão é sem dúvida uma franquia que conquistou uma legião de fãs, tanto crianças como adultos. Uma animação espetacular, madura e profunda, que sempre enfatizou o poder da amizade. A última trama da saga porém, está mais densa, e trata de assuntos que consequentemente deveriam ser tratados numa história como essa, considerando o amadurecimento das personagens: a insegurança da vida adulta, a busca por clareza e objetivos, e, claro, os relacionamentos de qualquer espécie.

Dentro da aventura está um personagem ainda inseguro, que procura no amigo dragão uma forma de se sentir melhor e mais forte: Soluço está mais velho e experiente, mas não consegue ainda entender o seu valor e suas habilidades. Ele sente que só pode ser o verdadeiro líder que Berg precisa quando está ao lado de Banguela, o alfa de todas as espécies. É a trajetória do herói que retorna de sua aventura: agora ele precisa lidar com o peso das responsabilidades  e com suas próprias dúvidas. Por ser uma característica um tanto quanto comum em diversas histórias de aventura, o roteiro parece ficar um pouco fraco e simples demais para toda a grandiosidade que o longa representa, deixando até mesmo as cenas de humor dos personagens secundários muito repetitivas e vazias.

Mas grandioso é a palavra exata para descrever Como Treinar seu Dragão 3: A direção de arte foi impecável, criando cenas tão incrivelmente reais de paisagens e cenários, quanto produzindo os dragões e seus comportamentos. A cena em que Banguela e Fúria da Luz estão em pleno vôo, se reconhecendo e flertando, é um espetáculo a parte, com um cenário maravilhosamente reproduzido para acompanhar o momento de glória dos dragões: enche os olhos de qualquer espectador, mesmo quem nunca tenha visto os outros filmes.

Outro ponto forte de destaque é a trilha sonora, que acompanha cada ritmo e frequência da história, como se narrasse o movimento de cada personagem; e junto com ela a edição de som também fez incríveis produções dos sons dos animais: é realmente possível esquecer que se está vendo uma animação e acreditar ser algo real.

Mas afinal, é bom?

Todo começo tem um fim, e ciclos foram feitos para serem fechados. Isso define bem o longa. Quando você realmente entende o que há por trás da história, percebe que esta sequencia seria inevitável.

Mas, antes de ver o filme confesso que torci um pouco o nariz e não fiquei com grandes expectativas. De fato, se formos comparar com o primeiro, o final da saga é mais fraco do que deveria ser, com um roteiro que não consegue acompanhar a graciosidade e profundidade da saga. Mas, o filme tem sua magia e encanta de uma forma tão forte que sim, vai fazer muita gente derramar algumas lágrimas no cinema. As cenas finais em especial, fecham uma história e é meio difícil não se arrepiar com tudo aquilo.

Então, Como Treinar Seu Dragão 3 fecha uma saga poderosa que encantou gerações. É um ótimo entretenimento e com uma produção visual surpreendente, com trilha sonora marcante e cenas lindíssimas que vão relembrar momentos importantes dos filmes anteriores. É uma boa pedida para toda a família!


0 visualização0 comentário

Comentarios


bottom of page