top of page
  • Foto do escritorYzza

10 motivos para assistir Xena: A Princesa Guerreira

Ano passado eu fiz uma sequência de tweets sobre o assunto e hoje resolvi adaptar e trazer aqui pro blog.

Xena: A Princesa Guerreira é uma série sobre Xena, uma vilã na série Hércules: A Lendária Jornada. Ela fez tanto sucesso que acabou ganhando uma série própria, mostrando a jornada de redenção da personagem que havia sido uma assassina cruel.

Se você ainda não viu, ou se viu quando passava na tv aberta e não lembra de nada da série, aqui vão alguns motivos para assistir:

1- É uma guerreira fortona chutando bundas: A Xena é uma personagem super complexa, mas uma coisa é certa: ela não tem medo de nada, nem de ninguém. As cenas de luta são super dinâmicas e ela chega a combater exércitos de uma vez só.

Xena, interpretada pela atriz Lucy Lawless, em uma cena de combate.

2- Gabi: Gabrielle, a sidekick de Xena, não é uma guerreira a princípio, mas apesar de ser uma personagem doce e aparentemente frágil, ela é uma mulher inteligente e corajosa que não mede esforços pra defender o que é correto.

3- Empoderamento feminino: Além de Xena e Gabrielle, a série conta com uma variedade de personagens femininas com habilidades e poderes diversos, sejam aliadas da dupla ou inimigas.


Gabrielle



Callisto



Alti



Velasca



Pao Ssu



Varia

3- Representatividade: A série, de 1995, trazia um elemento que é muito discutido hoje: a representatividade. Com atores não-brancos interpretando papéis de destaque, a série contou até mesmo com uma personagem transgênero vencendo um concurso de beleza. Muito a frente de seu tempo, não é mesmo?


Draco, um senhor da guerra.



Marcus, um negociador de armas e primeiro amor de Xena.



Cleópatra, rainha do Egito.



Lao Ma, governante da dinastia Lao.



Miss Artiphys, vencedora do concurso de miss.



Miss Artiphys, sendo “revelada”.

4- Xena, a Exploradora: Esse tópico foi feito com ajuda da nossa querida Lai, que me lembrou que a Xena conquista mais territórios que Alexandre, o Grande. A série se passa na Grécia Antiga, mas nossa querida protagonista não deixa de passear pelo “Velho Mundo”, são episódios em Roma, Índia, Egito e Chin (país que corresponderia aos territórios de China e Japão), sem contar as visitas a locais espirituais, como o Submundo.

5- Deuses: Como não poderia deixar de ser, a guerreira Xena é uma amante do Deus da Guerra, Ares, mas a relação dos dois é bastante conturbada. Porém, não só de deuses gregos vive nossa princesa guerreira, ela convive com deuses de diversas culturas, mas não acredita em nenhum deles, se é que vocês me entendem!

6- Figuras históricas e mitológicas: Realidade e ficção se misturam na série, que muitas vezes mostra personagens e momentos históricos com uma boa dose de fantasia. Personagens como Julius Caesar, Calígula e Cleopatra se misturam com Deuses Gregos, Centauros e Bacantes.


Julius Caesar



Calígula



Ares



Xenan (centauro)



as bacantes



mito de Prometeu

7- Humor: A série é classificada como uma série de aventura, mas o lado cômico é bem forte. Com um humor inteligente e sem apelação, alguns episódios são completamente non-sense. Joxer é o principal responsável pelo alívio cômico, acompanhado por Autólicus, Afrodite e outros.

8- Romance: Xena não é tão chegada assim na Afrodite, no entanto sempre tem um romance envolvido. Seja com Marcus, seu primeiro amor; com Borias, pai de seu filho; Ares, com quem vive uma relação de amor e ódio; Lao Ma; ou com Gaby, a guerreira é beijoqueira.


Xena e Lao Ma



Xena e Ares



Xena e Borias



Xena e Hércules



Xena e Gaby ♥

9- Relações humanas: Como já disse, Xena foi uma assassina, por isso durante muito tempo ela se mantêm afastada da família, mas na sua busca por redenção, ela tenta conquistar o perdão da mãe em cenas emocionantes. Apesar do romance sempre presente, a série valoriza o amor não-romântico, mostrando sempre a importância das amizades construídas pelo caminho. Valores como companheirismo, confiança e cuidado são sempre exaltados.

10- Amazonas: Já falamos das mulheres poderosas da série e ainda temos as Amazonas, uma tribo de mulheres guerreiras, com uma cultura muito rica. A Gaby se torna Rainha Amazona em certo momento da série.



Mas se nada disso te convenceu: ela usa um Chakram, que é basicamente um círculo de metal que corta cabeças e funciona como um bumerangue!


0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page